5 Parâmetros básicos do aquarismo

Ir em baixo

5 Parâmetros básicos do aquarismo

Mensagem  Admin em Seg Ago 13, 2012 6:25 pm

Substrato

É determinante na montagem do seu aquário, por exemplo, quando escolhemos um cascalho de origem calcárea é necessário saber que neste caso o nosso aquário.

Sempre terá uma água mineralizada e de pH tendendo a alcalino. Ou seja não poderemos habitar este aquário com peixes de igarapé amazônico (água ácida e de mineralização quase zero).

Quando estamos escolhendo o substrato, estamos, sem perceber, determinando qual tipo de ecossistema vamos reproduzir dentro de nossa casa. É isso que temos que ter em mente na hora de vender um aquário, a escolha não é simples como marinho ou de água-doce, mas sim qual o cliente deseja? Existem várias opções como, por exemplo, ciclídeos africanos, igarapé amazônico, recife de coral, aquário plantado, etc.

Fazendo a opção fica tudo mais fácil. Também é substrato todos os outros elementos que vão interagir quimicamente no ambiente do seu aquário, como elementos decorativos, materiais filtrantes e até a água do aquário.

Resumindo, devemos escolher com cuidado todos os elementos que irão constituir o nosso aquário.

Iluminação

Exceto algumas bactérias que vivem em fontes termais e pouquíssimas outras formas primitivas de vida, tudo o que nós conhecemos como forma de vida na face da Terra depende da luz para sobreviver, ou seja, sem luz não há vida.

E no aquário não poderia ser diferente. Seguindo a mesma lógica da escolha do substrato, nós devemos adequar a iluminação ao sistema que gostaríamos de ter.

Devemos fazer sempre uma comparação com ambientes naturais que são aqueles que queremos reproduzir (aí está a chave do sucesso). Por exemplo, um recife de corais multicoloridos próximos à superfície do mar de águas cristalinas.

Obviamente este ambiente é dos mais ensolarados que existe, neste caso a nossa escolha seria por um sistema de forte iluminação para este aquário.

O inverso é verdadeiro. Imagine peixes nativos das margens de igapós amazônicos nadando entre raízes de árvores frondosas, pequenos braços de rios ou regiões alagadiças com águas cor de chá. Neste caso a luz deverá ser de intensidade mediana.

Nunca se esqueçam que luz é uma forma de energia, ou seja, ela irradia calor para o aquário. Por isso vamos para o próximo item.

Controle de temperatura

É errado imaginarmos que nós devemos aquecer a água do nosso aquário. Na verdade nós devemos monitorar e manter a temperatura constante. E qual é a temperatura?

A temperatura adequada para reproduzir as mesmas condições do meio ambiente que nós queremos retratar. Notem a resposta sera sempre a mesma e é isto que eu gostaria de transmitir para vocês. O critério mais importante é tentar copiar a natureza. Através de algumas leituras de qualidade vocês poderão encontraras características principais (temperatura, pH, alimentação) das espécies que querem colocar no aquário. Resolvido isto, como controlar a temperatura?

Como na maioria das vezes o problema maior se resume ao aquecimento , é bastante comprarmos um AQUECEDOR COM TERMOSTATO adequado ao tamanho do nosso aquário (aproximadamente 1 watt por litro). Este aparelho fará o controle da temperatura, só aquecendo quando necessário e se mantendo desligado nos outros períodos, mantendo assim a temperatura desejada. Quando a questão é o resfriamento do aquário esta é mais delicada. Certos sistemas aquáticos necessitam de uma grande quantidade de equipamentos (devido à sofisticação do seu projeto), neste caso quanto mais fontes geradoras de calor (ex. lâmpadas, bombas submersas, filtros, etc.) maior será o ganho de temperatura deste aquário, podendo chegar a uma temperatura inaceitável. Podendo chegar a uma temperatura inaceitável.

Asolução deste problema está no uso do resfriador (Chiller) com termostato. Este aparelho se parece no seu funcionamento comum pequenoar condicionado, sendo que neste caso ele resfria a água que passa no seu interior, da mesma forma o termostato irá ligar e desligar o aparelho conforme a necessidade. Observe a importância de se exercer controle sobre a temperatura do sistema, excetuando os mamíferos e as aves, todos os outros seres vivos têm a temperatura do seu corpo regulada pelo meio em que eles vivem, ou seja, fornecer temperatura adequada é fornecer condições de sobrevivência.

Movimentação da água

Para seguir para o próximo parâmetro, gostaria que vocês imaginassem um grande rio de águas rápidas e fundo pedregoso desses que temos aos montes na serra do mar, ou então um grande açude em uma fazenda ou então um costão rochoso à beira mar.

De que ambiente serão os habitantes do nosso aquário com relação ao regime das águas?

Novamente fazendo uma breve pesquisa encontraremos a melhor maneira de estabelecer a movimentação da água do nosso aquário. Muitas vezes uma simples bombinha ou um pequeno filtro já é suficiente para resolver o problema. Outros projetos exigem uso de aparelhos que simulam a turbulência das ondas do mar (Wave makers), tudo é uma questão de adequação ao meio ambiente criado.

Vale a pena lembrar que excessos de decorações e objetos dentro do aquário diminuem a movimentação de água, por se tornarem anteparos, mas isso pode ser até uma alternativa benéfica em alguns projetos.

Sistemas de filtragem

Aí está um assunto muito polêmico, pois a própria palavra filtragem nos dá margem a muitas interpretações. Temos muitos tipos de sistemas de filtragem e todos utilizáveis no aquarismo. Como exemplos, posso citar filtragens biológica, mecânica, química, o uso de aparelhos germicidas, etc.

Para simplificar, falarei apenas de filtragem biológica, pois é a única imprescindível para os sistemas aquáticos. Este é um assunto interessante, pois mesmo aqueles aquaristas que dizem não ter nenhum tipo de filtragem biológica possuem bactérias agregadas a todos os substratos do aquário e em suspensão na água exercendo o seu papel de filtro biológico (o melhor exemplo é o aquário plantado ou o aquário de rochas vivas).

Estabelecer a filtragem biológica (FB) em um aquário leva um certo tempo, no mínimo trinta dias e cerca de um ano para atingirmos um sistema equilibrado e robusto. É durante este período que devemos ter mais critério na aquisição dos habitantes, pois é neste período que os maiores problemas relacionados à adaptação e sobrevivênciaocorrerão.

A FB traz equilíbrio ao sistema aquático e é muito importante sabermos que este equilíbrio é dinâmico. Por exemplo, excesso de alimentação, fezes e animais morto sentrarão em decomposição e os subprodutos desta decomposição, que são tóxicos, serão metabolizados pela ação da FB, transformando-os em produtos menos tóxicos que podem reintegrar à cadeia alimentar. Este dinamismo se apresenta no aquário em forma de ciclos iguais aos da natureza. A ruptura destes ciclos causará o desequilíbrio do sistema, podendo ocasionar a morte de seus habitantes.

Citarei como exemplo a ruptura do ciclo do nitrogênio, usando o exemplo de excesso de alimentação.

É normal sobrar um pouco de alimento após as refeições dos peixes do aquário, mas se por algum motivo esta sobra for maior do que a nossa FB consegue transformar, imediatamente teremos um aumento de amônia tóxica. Importante saber: não se estabelece o tamanho ou a capacidade da filtragem biológica. Esta sim amadurece e se desenvolve conforme a capacidade e a quantidade de habitantes que o aquário irá suportar.

E para encerrar, devemos ter sempre em mente que o aquário é um sistema fechado e, por isso, tudo o que colocamos lá dentro fica lá dentro, ou seja, é um sistema que tende à acumulação e por conseqü.ncia ao colapso.

Portanto é fundamental fazermos trocas parciais da água e manutenção do sistema.

Isto rompe o princípio de acumulação que criamos e evita a sua saturação, promovendo a renovação do mesmo.

Admin
Admin

Mensagens : 24
Data de inscrição : 12/08/2012
Idade : 37
Localização : Porto Alegre, Brasil

Ver perfil do usuário http://aquafauna.foruns.com.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum